cyclone ganha um site: cyclone.io

Há pouco mais de 2 anos atrás, o FriendFeed havia sido comprado pelo Facebook, e uma das coisas mais interessantes pra nós, na época, foi a publicação do web server que eles haviam desenvolvido para uso interno. Era Setembro de 2009.
Sua descrição permanece a mesma até hoje:

Tornado is an open source version of the scalable, non-blocking web server and tools that power FriendFeed. The FriendFeed application is written using a web framework that looks a bit like web.py or Google’s webapp, but with additional tools and optimizations to take advantage of the underlying non-blocking infrastructure.

Muita gente reclamou pelo fato do FriendFeed não ter procurado o pessoal do Twisted, pois desde os primórdios já era a lib padrão pra programar servidores assíncronos em Python. Ao invés disso, os caras do FriendFeed postaram coisas reclamando do Twisted – que era lento, mal documentado, etc; tudo que ainda reclamam nos dias de hoje. Veja aqui o anúncio do lançamento do Tornado, por Bret Taylor.

O fato é que o Tornado usava um IO loop próprio, e era bem mais rápido que a API nativa do Twisted pra web, Twisted Web. Além disso, o Tornado era baseado no framework que se chamava de anti-framework, web.py, por ser absurdamente simples. Mais ainda, o próprio Google havia publicado no mesmo ano o App Engine, que também era baseado no web.py. O resultado é que escrever um web service usando Tornado era muito mais interessante e obviamente mais simples que usar o Twisted Web.

Mas, como quase tudo, o Tornado tinha um grande problema: nenhum protocolo nativo do Python funcionava naquele IO loop. Nem mesmo coisas básicas como fazer uma query em DNS, ou acessar um PostgreSQL. O Twisted, já naquela época, tinha uma lista enorme de protocolos nativos, todos implementados pro IO loop do Twisted, e ainda mais protocolos que a própria lib padrão do Python. Protocolos como IRC, SSH, e suporte nativo pra qualquer database suportado pela DB API do Python, todos podiam ser mixados de maneira assíncrona no mesmo app, e coisas alucinantes podiam acontecer dentro de um web server.

Mas, justamente o protocolo HTTP era implementado pro Twisted Web, e o grupo de pessoas que cuidava disso havia criado o que seria um framework completo pra desenvolver aplicativos web, chamado Divmod. Por isso, eles não deram muita atenção pro Tornado, e pareciam focados nos componentes do Divmod que incluíam entre outros, até um sistema de banco de dados alternativo.

Dois dias depois do anúncio do Tornado, o glyph (cara que criou o Twisted) publicou um texto em seu blog dizendo o que ele gostaria que o Tornado fosse. Esse texto fez com que várias pessoas ficassem reclamando e chorando na teia, tipo esse post aqui.

Naquela época, eu estava desenvolvendo algumas coisas com Twisted Web, e obviamente fui testar o Tornado. No #twisted da freenode havia mais gente como eu, e o que mais havia progredido com algo interessante era um cara chamado Dustin Sallings. Ao invés de ficar chorando, ele havia portado o Tornado pra Twisted. Era exatamente o que deveria ter sido desde o começo. Em algumas conversas, ele havia dito que “estava pronto”.

Então, nasceu o cyclone. O motivo era simples: o Twisted Web era uma API pra criar web servers, e muito bagunçado pra criar web apps. O Tornado, era uma API muito decente, mas servia apenas pra criar web apps, sem suporte a nenhum outro protocolo além de HTTP. O cyclone, um mix dos dois: a API do Tornado pra criar web apps, mas que interagem com todos bancos de dados possíveis, e ainda todos protocolos do Twisted – incluindo os protocolos que se comunicam com sub-sistemas de telefonia.

Nos seus 2 anos de vida, o cyclone evoluiu muito. Muita gente contribuiu, mandou patch, arrumou bugs, adicionou coisas… e recebo alguns emails por semana de gente que usa e gosta, e agradece por ter algo como o cyclone disponível. Além de ser extremamente estável, passou a ter suporte nativo a sqlite, redis, mongodb, e uma gigantesca lista de features – tem até uma API semelhante à do bottle como opção. Coisas muito interessantes como o Nuswit, o RestMQ e o FreeGeoIP são baseados no cyclone.

Finalmente, peguei o domínio e o Gleicon comandou no site: cyclone.io

Anúncios

4 Comentários on “cyclone ganha um site: cyclone.io”

  1. Boss disse:

    Chupa essa, Python-br. Comunidade onde todo mundo se acha pop star e ninguem faz nada.
    Casos como esse sao meu orgulho.

  2. leo disse:

    aqui usamos cyclone para autenticar e geobloquear arquivos servidos do s3 para akamai

  3. Olá Alexandre, venho utilizando o Cyclone + TXMongo desde 2009 e hj nosso sistema já em produção tem se mostrado muito estável, parabéns pelo trabalho e continue assim.

  4. Rolando disse:

    That’s great! I’m fan of cyclone since it’s first release mainly because I work with twisted mainly.

    Side question: did you tried running benchmarks using tornado’s IOLoop reactor for twisted? (tornado.platform.twisted)

    Cheers!


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s